quarta-feira, 25 de maio de 2011

..... ainda não sei se tudo isso é bom ou ruim......!

ouvindo: AC/DC, Black Ice, de 2008

“Eu sem beber sou uma mala”
– Velhas Virgens, “Mea Culpa”, do álbum Cubanajarra, de 2006

Hoje, ao chegar da universidade (não ia ficar lá o dia todo hoje nem fudendo!), fiz uma seqüência que não fazia faziam alguns muitos anos passados. Liguei o PC, bati aquela punheta vendo uns filmes e vídeos, tomei um banho daqueles, almocei e apaguei. Isso lembra meus tempos de Ensino Médio, quando ainda não bebia nem fumava, e cumpria este ritual diariamente (mas sem a parte do PC e dos vídeos; ainda era o tempo do arsenal de revistas compradas em sebos!).
Passados onze anos, eis que isso tudo volta. Não mudou muita coisa daquele tempo pra cá (e, assumidamente, eu me divirto muito mais no Superior do que no Médio). Eu devia ter mudado e muito pra melhor, como praticamente todo mundo do meu período o fez e eu não. E, como sempre e só pra variar, só eu que me fodo nesse processo. Deve ser porque eu meio que peço pra isso acontecer.


“Já faz um tempo que eu não bebo;
Já faz um tempo que eu não fumo;
Já faz um tempo que eu estou 100% limpo
(e somente hoje vim perceber a diferença)”
– poema de minha autoria, sem título, abril e maio de 2007
(o poema na integra está na postagem Finalmente Eu Terminei, de 8 de maio de 2007)

Pode não parecer pra quem não, mas, pra quem bebe e pra quem fuma, duas semanas são uma verdadeira eternidade. E, devido aos remédios que estou tomando, ficar até a primeira quinzena julho será uma verdadeira epopéia. Quando escrevi o poema a qual o trecho acima pertence, eu não fazia universidade – ou seja, foi bem mais fácil ficar sem entornar ou tragar, uma vez que só saía de casa quando dava na telha e era muito mais difícil sucumbir à tentação.
Agora, eu gostaria muito de dizer que é mais fácil resistir à tentação. Cabeça-feita e todas essas merdas. Hah. ‘Tá foda. Eu não escolho ir pra universidade todo dia – eu TENHO que ir e ponto. Se já foi A merda ter que agüentar Weiß_Ulf, Pupunha e Jess entornando e fumando no sábado e o Muitas-Garras* fazendo o mesmo no domingo e eu me agüentando para não tomar uma dose e dar um trago, imaginem ter que recusar os cigarros que me oferecem e os convites pra tomar uma que me fazem TODOS OS DIAS. E essa é a pior parte parte um. A pior parte parte dois é que, apesar de estar achando ótimo ter paladar (vou falar disso mais à frente) e olfato e estar dormindo muito bem, essa abstinência está ma deixando mais angustiado e neurado do que antes. Ou seja, estou ficando mais impaciente e angustiado do que já era (não sei como, mas é possível!). ‘Tá uma merda.
Antes, eu podia simplesmente evitar todo mundo e me isolar em casa (mesmo sem computador, eu ainda lia muito e desatava a escrever todas as merdas que me vinham à cabeça). Agora, me diz como fazer isso?!? Fora que andam acontecendo umas cagadas muito violentas comigo (sim, culpa minha novamente) e ter que agüentar tudo de cara limpa não me parece ser uma solução muito da sua viável, apesar de ter que concordar com a mesma sem poder pestanejar.
Quanto a ter paladar. Ontem, antes de ir à unversidade, até que foi legal. A primeira segunda-feira em MUITO TEMPO que não acordo com gosto de álcool na boca devido não ter bebido todas nem na sexta, nem no sábado e nem no domingo e/ou nos três dias seguidos em questão. A primeira segunda-feira que não acordo querendo morrer devido à bebedeira. Sem meus ossos e músculos gritando comigo e me repreendendo pelo o que fiz a eles.
A grande vantagem foi poder sentir o gosto do café da manhã e do almoço. Foi poder andar rápido sem meus pulmões estarem próximos à explosão. Disparar em corrida do CAL (que fica no bloco Gb) até à extremidade do Hb próxima à (Biblioteca Central) Cláudio Beckman sem quase desmaiar.

PORÉM ainda não sei se TUDO ISSO é BOM ou RUIM.
*Pensando muito seriamente no assunto mode on turbo*

Mãe Gaia, que julho chegue logo.




Pra terminar:
UM
Ainda bem que Frau Borges gostou MUITO do resultado final do meu trabalho escrito da 2ª avaliação da disciplina dela. Deu um trabalho do caralho faze-lo. Mas só dela ter gostado muito já compensou tudo. Acho que é isso que compensa as coisas. O trabalho reconhecido no final.
Eu re-upei o trabalho no 4shared. Baixe o seu clicando AQUI. Qualquer parte deste trabalho acadêmico poderá ser usada como citação e/ou referência, contanto que a fonte seja devidamente citada a obra onde for usada a citação me seja enviada.
DOIS
Eu simplesmente não podia esquecer de dizer que a visita que meu Irmão Lobo Diego André Pena Farias me fez ontem à noite foi deveras importante. Fazia realmente UMA CARA que não o via e ele ter vindo aqui em casa hoje foi realmente muito do caralho. Volta e meia, eu pensava como este puto poderia estar, se estava bem ou não e coisa e tal. E foi muito foda saber que ele está bem (e, tal qual a mim, limpo também).



* Muitíssimo obrigado MESMO por ter upado o À Sombra das Chuteiras Imortais – Crônicas de Futebol, do mestre Nelson Rodrigues, publicado pela Companhia das Letras, em 2003, com organização do Ruy Castro. Este é praticamente o livro básico que ele, Muitas-Garras, está usando como base literária para seu TCC. Ele permitiu que eu desse uma lida em alguns dos contos nele presente e.... Eu sou muito suspeito para falar de Rodrigues em qualquer âmbito ou aspecto. Eis a postagem n’A Mesa do Arcano onde vós podeis achar o link para download – Sempre ‘À sombra das chuteiras imortais’!.







E porque toda vez que lembro e/ou falo sobre parar de beber e/ou falar, não consigo não lembrar da letra de “Sober”, da Kelly Clarkson, do Breakaway, de 2003?

sexta-feira, 20 de maio de 2011

[VIVER] COM A CERTEZA DA INCERTEZA DO AMANHÃ!

Ouvindo: Flotsam and Jetsam, No Place for Disgrace, de 1988.

Na postagem de ontem, eu falei sobre a situação tensa que aconteceu na USP e a posição tanto da reitoria da UFPA quanto de certa parte do Centro Acadêmico de Letras (porque obviamente não é a de todos os integrantes do CAL todavia realmente duvido imensamente que o que eu disse ontem lamentavelmente seja de opinião geral dentro do CA). Todavia é meio redundante dizer que TODO MUNDO ficou com o cú na mão por causa do fato lá ocorrido. Foi muito tenso demais ver na TV hoje de manhã que os índices de assaltos têm aumentado em muitas universidades públicas Brasil afora. Enquanto a USP está de luto, reitorias e reitorias têm procurado soluções para que fato semelhante não aconteça em seus campi. Antes tarde do que nunca, mas ainda assim muito tarde devido ser depois de tal fato lamentável ter ocorrido. E, quando não achamos que a coisa pode piorar, eis que..........



“When I woke up one morning
I knew the sun wouldn’t rise that day
She just stayed away
No more need for sunlights
A dismall blackness is all around
And you could not be found”
– Bambix, “Song for Karin”, do álbum Out of the Cradle Endlessly Rocking, de 1992.


Já aconteceu na UFPA alguns anos atrás. É escroto-para-caralho quando você sabe que isso acontece debaixo de seu nariz. E é tão escroto quanto quando acontece na casa de alguém, e de forma ainda mais acentuada.
Se ontem, eu já tinha sido atingido por um ônibus ao saber do rapaz em SP, hoje fui o alvo do Knock Nevis (i.e.: o maior petroleiro do mundo) ao ter conhecimento da guria que foi violentada E espancada ao sair “SÓ” da UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ontem à noite. Não vou dar uma de mais hipócrita que eu sou e dizer o quanto eu fiquei e como me senti ao saber disso porque não tenho nem palavras para descrever minha raiva e impotência frente à tal situação. Infelizmente as palavras do Luciano, guitarrista do CPM22, em “Inevitável”, se tornam aqui precisas: “Me restou conviver sem saber a que horas vou voltar, se vou voltar / Espero contar com a minha sorte / Vou pedir pra Deus, com a certeza e a incerteza do amanhã!” (afinal foi ele que escreveu a letra desta música para o MTV ao Vivo, de 2006).
Não me agrada dizer essas coisas, mas.................... É muito foda ter que viver com isso – com MAIS isso. Uma vez que já era uma cagada ter que ficar na onda pra não ser assaltado ao voltar à noite da uni, ainda tem mais essa pra deixar todo mundo neurado. E.... Não somente consigo próprios, mas também e principalmente com as mulheresirmãs, mães, filhas, esposas, amigas, Irmãs-de-Matilha.
Porque agora, mais do que antes, será uma vitória e felicidade sem tamanho quando elas chegarem seguras, sãs e salvas em suas casas de mais um dia acadêmico completo. E quando não voltarem? E, deixando agora de ser sexista, isso não vale somente para elas. Não esqueçamos do rapaz de quarta-feira (citar seu nome muitas vezes se torna falta de respeito)!!!
E este se torna um daqueles momentos que eu não sei de mais nada – só consigo sentir. Raiva. Medo. Desespero. Tristeza. Como eu disse em “Sem Mais Desculpas Fodidas”: “às vezes mais raiva do que medo ou mesmo mais medo do que raiva”. Tudo contido e em níveis máximos. E em palavras consigo dividir enquanto praticamente o mundo ao meu redor dá a impressão de simplesmente não se importar. Ah, claro. Não são suas crianças que sofrem. As que padecem estão do outro lado da notícia, a que está sendo feita e divulgada. E quando forem as nossas que forem as atingidas? E quando este mal chegar até nossas peles e carnes e sangues e espíritos, expugnando a tudo sem possibilidade de reversão e/ou cura?
E porque eu me sinto como se estivesse sussurrando e/ou gesticulando em meios a gritos que não serão escutados e/ou atendidos? E porque eu não me sinto sozinho, mas não melhor com este fato?

mais perguntas do que respostas

mais perguntas sem respostas



“gritos de dor que ecoam sem ser escutados”
“Luz dos teus Olhos”, letra de minha autoria, 20 de dezembro de 2007

quinta-feira, 19 de maio de 2011

NADA SATISFEITO COM TUDO, MUITO ALIVIADO COM O TERMINADO E TENTANDO NÃO FICAR FRUSTRADO E PUTO DA VIDA.......................!

Ouvindo: The Spook, Let There Be Dark, de 1997, e Bloodsucking Zombies From Outer Space, Army of Zombies, de 2005.


Eu mereci e me fudi fazendo o trabalho de ODGT pra ser apresentado hoje na primeira aula. O pior é que fiquei fazendo/finalizando trabalho e vendo o Guerra ao Terror, da Kathryn Bigelow (i.e.: ex-mulher do James Cameron). Ou seja, fui dormir lá por quase quatro da manhã e acordar às cinco e vir pra UF.
Vindo pra cá.............. nem preciso dizer o quanto a viagem de buzão foi realmente tensa.
Quanto ao trabalho. Eu havia escolhido o gênero textual blog. O grande causo era escolher os blogs (danke schön, Íse, Trilha-de-Sangue, Palavras-Prateadas, Muitas-Garras, Tami-chan-imooto e Helanny) e as postagens em específico. Porque primeiro filtrar os blogs e as postagens? Como a minha idéia era o ensino do português brasileiro como língua estrangeira para alemães, o projeto era me valer de textos com linguagens simples e acessíveis que fossem de acordo com o que fosse estivessem estudando. Ou seja, ia dar muito trabalho se permitisse que os alunos procurassem em blogs o que lhes interessasse e falassem sobre. PORQUE AS PESSOAS NÃO ENTENDEM ISSO?!?
‘Tá certo que não fui muito claro quanto o que queria no projeto, mas deixei durante a explicação do mesmo. O que deu raiva foi falarem um monte de merda. Que parte de “não é pra fazerem um blog, é pra conhecerem o gênero textual em questão” esse bando de corno burro não compreende?!? Outra parte seminal seria os alunos lerem os blogs ofertados e por eles escolhidos em classe (a lista vem logo a seguir, retirada direto do handout entregue à professora) e depois comentarem. Aí volta pro caso do trabalho desnecessário dos alunos procurassem em blogs o que lhes interessasse e falassem sobre.

Blogs, postagens e proprietários
Blog: A Mesa do Arcano
Proprietário: Breno Muinhos
Postagem: Ao Passado, Sempre!
Data: 8 de fevereiro de 2010

Blog: Fernanda Isobe
Proprietária: Fernanda Isobe
Postagem: Alice
Data: 22 de março de 2011

Blog: Umbra Virtual
Proprietário: Roney Gomes
Postagem: Chaves, qual é o tamanho do mar?
Data: 30 de janeiro de 2011

Blog: Diários do Profeta
Proprietário: Endressy Anselmo
Postagem: Resumão de coisas doidas ou nem tanto
Data: 22 de março de 2009

Blog: Sereníssima
Proprietária: Thaíse Negrão
Postagem: Eu te amo não é bom dia!
Data: 15 de fevereiro de 2008

Blog: Tabloide da Helanny
Proprietária: Helanny Ferreira
Postagem: Assédio
Data: 25 de setembro de 2010


Trabalho “completo” – clique aqui!
Ach! Deixa eu mudar de assunto senão vou ficar mais puto ainda! E fora que o assunto que vou fechar esta postagem também é doente demais!


Quanto à situação de alívio........
Depois de UM MÊS na batalha, FINALMENTE Tail, Denis e eu CONSEGUIMOS TERMIAR DE ENTREGAR TODA A PAPELADA BUROCRÁTICA! Assina ali, entrega isso aqui, leva aquilo ali, tudo muito tenso demais. Não somente nós ficamos felizes, mas Frau Steffen inclusive. Menos dores de cabeça. E isso me..... E isso NOS faz sentir ÓTIMOS!
Porém...............



“Você insistiu em não perceber, virar as costas e esquecer, agora é tarde, não tente se esconder!
E sobre a violência, que você fingiu não ver agora explode, agora explode em sua cara, eu só vejo o sangue a correr.
Não há mais nada, não tente se omitir e nem aponte o dedo pra fingir não ser você.”
– Dead Fish, “Sobre a Violência”, do álbum Sonho Médio, de 1999.


Foi como ser atingido por um ônibus receber a notícia do assassinato do graduando Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, morto ONTEM À NOITE com um tiro na cabeça no estacionamento do campus Butantã da Universidade de São Paulo.
Tal como nos campi da UFPA e de tantas outras UF país afora, não é a Polícia Militar que realiza a segurança interna, e sim a segurança formada por policiais federais concursados e empresas terceirizadas. E, mesmo assim, não nos sentimos seguros com tal fato. Como no CEFET, não temos a sensação de estar sendo protegidos e cuidados dentro de nossa casa. É como se eles estivessem cuidando somente do patrimônio e nós que nos fodamos (eu vi isso acontecer muito no CEFET – alunos se espancando e os seguranças nem “tchum”, se não fosse alunos e/ou professor pra desapartar......). Eu espero estar errado quanto à UFPA, de verdade.
Eu comentei isso com o diretor da segurança da Polícia Federal do campus Belém. Ele me disse que a reitoria faria uma direção com os órgãos responsáveis pela segurança da instituição de ensino para que o que aconteceu lá não chegue a acontecer aqui. Ele até comentou que, se fosse pro DCE pedir pra alguma coisa de fato pra eles, pra que pedissem a abertura de concurso público para mais federais para a segurança do campus, uma vez que o pessoal só se aposenta e novos não entram, além da rotatória dos guardas da empresa terceirizada contratada pela reitoria.
No CA, fui comentar isso e tiveram a CARA DE PAU de dizer que “a UFPA não é a USP. Não te preocupa com isso”. Eles estão mais preocupados com um tal de Beijaço que vai rolar amanhã (tomara que não role, sério!a respeitar a opção sexual dos outros é uma coisa, ficar expondo-a aos outros para que a aceitem é uma merda das maiores já registradas) por causa do Dia de Luta Contra a Homofobia que foi anteontem. Hum. Olha minha cara de preocupado quanto a isso. Quero saber e violência escolhe opção sexual. Quero saber se não vão meter a arma na tua cara porque és homossexual, heterossexual ou a puta que pariu. Não, não vão.
Não deu pra ficar puto com o pessoal. Salvo raras exceções, ninguém entendeu a situação (aconteceu a mesma coisa em Nerd Happines Mode On! Cu Fechado de Medo Mode On Também). Isso me deixou MUITO PUTO. Mas aí..... Fazer o quê?
Torcer, de todo meu coração partido, pra que não aconteça aqui em minha casa, ou em qualquer outra instituição de ensino, seja qual for.




“E o meu coração se entristece com o das pessoas que perderam pessoas que amavam...”
“Samba do Bombardeio (Canção Para Letícia Tocar e Cantar)”, poema de minha autoria.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

escrito na aula?!? DESABAFO FERRADO!

SEM DESCULPAS FODIDAS

Eu devia lamentar por isso?
Pedir desculpas por meus erros... Por minhas palavras e atos.
Talvez eu fale e as pessoas não entendam
Muitas vezes as pessoas falam e eu não ouço e não entendo...!
Porque não dizem simplesmente “NÃO! NÃO DÁ!”?!?
E eu não deveria pedir desculpas fodidas
Não, eu não peço desculpas fodidas sobre toda essa merda...!
Existem tanto perguntas quanto respostas, e já estou cansado de procurar por todas elas.
Algumas vezes só sinto raiva, outras mais raiva do que medo ou mesmo mais medo do que raiva...!
Ontem eu tive o que mereci, você fala e faz o que não deve e o teto cai na sua cabeça!
Hoje de novo, não tão sutilmente, mas o que custa dizer “NÃO ROLA!”?
E tudo fica tão difícil de se encarar.
Quando você não alimenta esperança,
Você não fica realmente fudido quando ela não se torna real.
Meus amigos copos estão vazios
Meu amigo Rock and Roll está em silêncio
Mas minhas amigas Poesia e Frustração e Raiva estão aqui para me fazer companhia.
O professor fala e fala, eu não estou aqui
Eu não consigo parar de pensar nela - e pensar nas palavras que a amiga dela me disse no RU!
E então eu não peço desculpas fodidas por tentar
Nem peço desculpas fodidas por não conseguir!
Eu devia me sentir feliz ou triste pelas lágrimas que não rolam mais?
Não, eu tenho meus amigos e seus abraços...!
E se ela não me quiser, eu não tenho, não, não...
Amanhã é outro dia para novas frustrações
E eu não tenho que pedir desculpas fodidas por isto!


:: 18 de maio de 2011 ::
:: aula de Psicolingüística, Prof. Dr. Abdelhak Razky ::
:: “Muitíssimo Obrigado”: Aline Uslar (foi com a caneta dela que escrevi este poema) ::

segunda-feira, 16 de maio de 2011

e quando o domingo termina………..!

Ouvindo: AC/DC, Flick of the Switch, 1987

O domingo está acabando e agora que estou fazendo a postagem dos últimos dias passados. Só pra começar, estou achando ótima a receptividade dos leitores quanto ao ultimo poema postado – Geomorfologia. Ainda bem que a guria pra quem escrevi também parece ter gostado (!TOMARA!).

Mas vamos ao que interessa.

Quinta última (12-05-2011), finalmente terminei o trabalho para E2A1. Eu ainda ajeitei umas coisas e até que não ficou ruim. Mas a melhor parte ainda foi chegar em casa da uni, tomar banho, almoçar e APAGAR. Depois acordei, comi alguma coisa, fui pra frente do PC terminar o trab e depois voltei pra cama. O foda foi ter acordado às quatro da matina e não ter conseguido mais dormir. Isso FUDEU minha manhã da sexta-feira.

Na sexta teve a apresentação. Só que, depois da viagem de casa pra UF, eu fiquei QUEBRADO e bateu o cansaço logo na aula de Frau Steffen. Sei lá, eu fiquei mais dormindo do que acordado. Tanto que tive que dar uma saída no meio da aula e voltar só depois do intervalo senão não ia mais conseguir levantar da cadeira. Um café é sempre muito importante/bem-vindo nestes momentos. Pra falar a verdade, eu não faço nem idéia do que rolou na aula. Foi só meio tenso pro meu lado quando ela perguntou porque eu sempre estou cansado. Foi mais tenso ainda ter que explicar que só começo a funcionar lá pelas nove, dez da noite, e minhas melhores merdas só vem lá pelas duas, três da manhã. Muito tenso. Pior foi o sermão à voz pequena que ela me deu depois da aula. Eu podia muito bem passar o resto da vida sem essa e tantas outras. Como diz o ditado: “Despreze o conhecimento e faça todos pagarem por sua ignorância.” Sem mais.
Quanto à apresentação do trabalho....................
Eu não gostei do resultado final do todo. Não foi de todo ruim, poderia ser bem melhor e eu já fiz coisas muito melhores do que esta. Fora que ainda tive que ouvir uma das coisas MAIS ABSURDAMENTE TENSAS de toda minha vida acadêmica. Não deu. Eu TIVE que sair da casa com a professora ainda falando. Aquilo foi demais pro meu coração – e olha que eu já agüentei muita merda desde 2009 pra cá. Eu posso ser um dos maiores e mais ferrenhos críticos do curso nestes últimos anos, mas isso.................................. “Eu não sei porque tem que estudar Literatura e Lingüística no curso de Letras!” Isso ainda vai me assombrar muito.......................................! E pensar que vou ter que agüentar esse infeliz até o final da Graduação.
Quanto à CEG. A aula foi legal. A conversa que tive com Herr Arnegger depois da mesma idem, bastante proveitosa até, devido os temas nela abordados me serem bastante interessantes. O caso foram umas coisas tensas que provocaram a conversa até. Foi uma coisa. Eu tive que sair pra tomar uma no Vadião com o pessoal. Era muita coisa em um só dia pra continuar sóbrio...............!
Sabe, eu acho que tudo meio que conspirou pra isso. Mas foi legal pra valer até. Até o momento que todo mundo se arrumou com alguém e eu fiquei sozinho com meia cerveja e um toco de cigarro. Consegui pegar o ultimo 6-UFPA e chegar em casa. Sorte que ainda tinha o 0800 melhor do planeta a festa de casamento da Manu (eu falei muito dela em postagens entre 2005 e 2007) com o Fabrício. Comida da boa, bebida da boa (eu tomei um Red Label SOZINHO e sem pagar um puto pra isso), companhia da boa (todo mundo com quem parei pra falar era muito agradável, diga-se logo mas todo mundo é agradável pra conversar se eu for o ponto de referência). Não sei que horas voltamos pra casa, mas eu voltei muito feliz.

Sábado. Fui á casa do Maurice e colocamos a conversa de quase oito meses em dia. Mulheres. Ensino Superior. Mulheres. Festas. Mulheres. Jogos eletrônicos. Mulheres. Filmes. Mulheres. Essas coisas que interessam gente como a gente. Fora que ainda conheci alguns outros amigos deles lá das bandas dele e rimos bastante por sabermos termos muitas merdas em comum. Muito bom, muito bom.

Hoje. Depois de sair da casa do Maurice, acabei dando uma passada na casa do Uchiha e colocamos tanta conversa em dia quanto. Claro que nos falamos via messengers e mails quase todo o tempo facilita muito a conversa. O caso é que também falamos umas paradas mui tensas e resolvemos umas coisas bem legais. Depois passei na casa do Poderoso 38ão (UOU!). Falamos mais umas paradas e acabei de voltar de lá porque fui pegar uns filmes (que ACHO que vou ver durante a semana – isso incluindo os que peguei com Tail [citados em Um, Dois, Três, Vai...!]) e uns livros (finalmente uma versão .pdf do Corão!) e sons (a discografia COMPLETA do AC/DC, a do Goo Goo Dolls e a trilha sonora do Scarface com o Al Pacino, de 1983 [é, é aquela que o Scarface diz 182 vezes a palavra “fuck” – inspiração plena do 182 do Blink-182], dirigida até pelo Brian de Palma).
Fora que............. Foi ótimo botar a conversa em dia com esses putos e ver as caras imundas deles novamente (eu ia esquecendo, passei na casa do Armando Junior também). É como se fosse uma renovação de amizade!


Antes de digitar este post, eu assisti o Hulk vs. Wolverine (um dos citados em Um, Dois, Três, Vai...!). Tal como o Hulk vs. Thor..... Não é ruim, é diversão garantida. Não aparece nenhum dos inimigos do Golias Esmeralda, mas em compensação tem alguns dos eternos sacos-de-pancada de todo mundo na Marvel: Lady Letal, Dentes-de-Sabre e Ômega Vermelho. Tem o bocudo do Deadpool também, mas pra mim ele não conta. Roteiro de Craig Kyle e Christopher Yost. Desta vez, o Frank Paur só produz a película. Não deixe de ver quando o filme acaba, o pano de fundo dos créditos finais também vale bastante. E, se você for fã também, não vai querer perder!


Ontem foi aniversário do Allan, da minha classe da graduação. Feliz aniversário procê, seu puto!


Vou jantar e depois ver o Vale dos Lobos – i.e., um dos filmes que o Poderoso 38ão (UOU!) me arrumou pra ver – antes de dormir. Tomei tanto café hoje que vou demorar uma cara pra dormir pelo visto – e, consequentemente, ficar FUDIDO amanhã, mais dormindo do que acordado.

Ah, “como se diz ‘que a Força esteja com você’ em alemão?”
Resposta: „daß die Macht bei dir sei!“
Valeu pela pré, Herr Professor Sigurd Jennerjahn e Frau Lehrerin Diana Almeida!



Inté, negada!

quinta-feira, 12 de maio de 2011

poema escrito na hora da aula!!!!

GEOMORFOLOGIA
NÃO me leve a mal se eu quiser mordiscar seus ombros
E nem se quiser massagear seus pés
Muito menos em passar o nariz em seus lábios
Ou mesmo fungar em seus ouvidos
Ou até mesmo...
Eu já cansei de tentar ser perfeito e de agradar todo mundo
Que tal você massagear minhas costas com seus pés
E o meu corpo com o seu?
São tantas lembranças e anseios que acabam formando o seu rosto...
E tantas dúvidas que ressoam dentro de minha mente com o som de sua voz...
As lembranças das oportunidades que não foram aproveitadas
Dos passos em falso que resultaram em frustrações incessantes...
Quando se é o pára-raios de sua própria auto-destruição
Ver a tristeza e frustração alheias de terceiros
Meio que se torna enormemente suportável.
Quando você pinta um alvo em sua cabeça e jogam Outubros Vermelhos
Ver os que caem em cabeças alheias não param de doer
As lágrimas dos outros passam a queimar menos
Mas todos os abraços de urso sempre são e serão sempre bem-vindos.
É impossível entrar em corações e mentes
Mas sim se compreender pelo que as pessoas lutam
E porque sofrem de modos idiossincráticos comparando umas com as outras!
Pelo que você luta? Pelo que você sofre? Pelo que você definha?
Pelo que você chora? Pelo que você? Pelo que você ama?
Às vezes, nós simplesmente não sabemos mais de nada
E tudo se torna tão sem sentido quanto tudo por aqui.
Não, não me leve a mal por minhas mãos em seus ombros
Por meus lábios em sua testa
Por meus dedos em seus cabelos e braços ao redor de seus ombros.
Os meus pequenos grandes desejo deste dia sermos
Por somente um instante um beijo
Por um momento apenas um abraço
Um tarde dois...!
E eu penso em tudo e principalmente nisso
E tudo me vem à mente
Começando por tudo
Começando por Você.

:: 1º ao 8º versos: Ensino e Aprendizagem de Alemão 1, Prof.ª. MsC. Odinéia Amaral – 09 de maio de 2011 ::
:: versos restantes: Oficina de Didatização de Gêneros Textuais, Prof.ª. MsC. Larissa Borges – 10 de maio de 2011 ::

segunda-feira, 9 de maio de 2011

CORAÇÕES COMPLETOS COM RESULTADOS FINAIS [2]

Depois do grande trabalho de OPCOA de sexta e do show realmente foderoso do DEAD FISH que rolou sábado – que vai ser comentado nesta mesma postagem –, hoje foi mais uma valendo!
Na postagem, eu disse que fiquei PUTO DA VIDA porque não consegui apresentar o trabalho de Psicolingüística que me fudi fazendo e o professor disse que eu não ia apresentar naquele dia (a última aula anterior à de hoje – mais detalhes no começo da postagem Um, Dois, Três, Vai...!). Hoje, eu fiquei FELIZ DA VIDA porque FINALMENTE CONSEGUI APRESENTAR ESTA PORRA!!!! E olha que eu ‘tava morto-de-ferradamente-quebrado por estar farreando direto desde sexta-feira última. Mas foi muuuuuuuuito do caralho ter enfim apresentado e tanto Herr Razky quanto a classe não terem zoado meu trabalho. MUITO FODA! E nem eu tava ligando pro antes e depois, ainda mais porque só havia ido mesmo pra uni pra cumprir esta Missão Sagrada de Botar pra Fuder neste Trabalho!

Quanto ao show............ Eu acabei decidindo em cima da hora pra ir ao Dead Fish. Não deu pra ir em 2008 (mas nem doeu tanto não ter ido, uma vez que, uma semana antes, havia ido à Fortaleza ver o show do Bad Religion, que o Sugar Kane abriu pro Dead Fish que abriu pro BR), mas este, depois do trabalho de Frau Steffen, ainda mais depois do lance tenso que rolou desde quando ela passou esta avaliação. Foi MAIS DO CARALHO AINDA porque encontrei o Glaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaauber e a namorada dele, o Caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarlos e (eu e os caras) botamos todas as merdas boas e ruins em dia (mesmo apesar do segundo ter reclamado o show todo – pra falar a verdade, nem eu nem G sabemos até agora o que o Gordo foi fazer lá, uma vez que não gosta de hardcore). Tal como nos Arrastões do Arraial do Pavulagem, shows de rock assim sempre me são importantes porque sempre encontro gente que não vejo faz uma cara e podemos nos abraçar e dizer o quanto nos curtimos porque não sabemos quando nos veremos novamente.
Eu não lembro da ordem das músicas do show (se tivesse feito o post quando cheguei à casa do Glaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaauber sábado depois do show, teria lembrado de todo o repertório tocado em Belém sem problema algum). Não tocaram “Exílio” nem “Canção Para Amigos” nem “Noite” nem “Por Paz” nem “Diariamente”, PORÉM tocaram “Tango” e “Reprogresso” e “Re-Aprender a Andar” e isso meio que compensou as coisas. Mas o melhor ainda foi em “Mulheres Negras”, no trecho final quando o Rodrigo cantou “E então poderemos sorrir como mulheres negras”, e eu: “COMO A MINHA MÃE!” Ele apontou pra mim e disse fora do microfone “muito bem lembrado!” FOI A GLÓRIA! Ah, ele também dedicou “Tango” para as mães de todos os presentes devido ontem ter sido Dia das Mães.
AUSWAHL (Contra Todos, 2009)
ASFALTO (Contra Todos, 2009)
PERFECT PARTY (Afasia, 2001)
REI DE AÇÚCAR (Um Homem Só, 2006)
(encore)

REPROGRESSO (Afasia, 2001)
TANGO (Afasia, 2001)
SONHO MÉDIO (Sonho Médio, 1999)
AFASIA (Afasia, 2001)
PROPRIETÁRIOS DO TERCEIRO MUNDO (Afasia, 2001)
AUTONOMIA (Contra Todos, 2009)
SIGA (Zero e Um, 2004)
SHARK ATTACK (Contra Todos, 2009)
NÃO (Contra Todos, 2009)
MULHERES NEGRAS (Sonho Médio, 1999)
LINEAR (Afasia, 2001)
ZERO E UM (Zero e Um, 2004)
A URGÊNCIA (Zero e Um, 2004)
BEM-VINDO AO CLUBE (Zero e Um, 2004)
RE-APRENDER A ANDAR (Zero e Um, 2004)
CIDADÃO PADRÃO (Sonho Médio, 1999)
INDIVIDUALISMO DE MASSA (Sirva-se, 1998)
(encore)

TÃO IGUAIS (Zero e Um, 2004)
ESCAPANDO (Sonho Médio, 1999)

Eu tava MESMO precisando d’um show desses mesmo, ainda mais depois do tanto de cagadas em série que andam acontecendo comigo e por mea culpa. E também foi ótimo sentar com o Glaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaauber e o Caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarlos na casa do primeiro e, como já dito parágrafos atrás, botar todas as merdas em dia. Eu me lembro de termos parado no Bar do Parque (apesar de ainda ter algum respeito pela Praça da República, eu nunca vi o lugar com bons olhos) e o Caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarlos ter pagado umas bebidas pra nós três (faltou o Chorão e o Trixa inclusive – foda-se, faltou um MONTE de gente). Foi muito legal até, tenho que dizer. Só que.... Fico meio na onda com coisas assim porque é sempre como se fosse a última vez que nos reuníssemos e passássemos momentos realmente bons, como quando nos reuníamos na casa do G alguns anos atrás, entre 2005 e 2006.
E.... Eu lembro duma garrafa de Natu Noblis que ‘tava quase cheia que o Glauber me passou quando cheguei lá. Eu fiquei sentado, vendo TV (sei lá o que ‘tava passando na TV, mas sei que os caras ‘tavam muito entretidos) e depois fui me trancar no banheiro ficar chorando que nem uma porra duma puta por causa de um monte das merdas fudidas que falei no início do parágrafo anterior. Eu sei que não deveria........... Mas acordei na manhã seguinte, eu admito, muitíssimo melhor do que quando fui dormir. Novamente dizendo, eu realmente estava precisando de um show desses.


Ah, acabaram os downloads que ‘tavam rolando aqui. Vou pra casa, comer e dormir, porque ainda ‘tô über quebrado do final de semana – tanto que, na aula do grupo de estudos que faço parte, eu tava pescando a praticamente todo momento, deixando Frau Steffen e Herr Pressler putos da vida comigo. Depois eu leio estas comics, amanhã quando voltar da uni talvez. São elas
Vivendo com os Mortos – roteiro de Mike Richardson e arte de Ben Stenbeck, com capas de Richard Corben e coloridas por Dave Stewart. Mini completa em três edições publicada pela Dark Horse nos EUA em 2007.
Damn Nation – roteiro de Andrew Cosby e arte de J. Alexander. Mini completa em três edições publicada pela Dark Horse nos EUA em 2005.
Arquivo X: Truque de Luz – história de Stefan Petrucha, arte de Charles Adlard e colorida por George Freeman. Da série criada por Chris Carter e adaptada para as HQ’s, esta edição é de março de 1995 pela Topps Comics.
Quarteto Fantástico e Homem de Ferro são Grandes no Japão – história (?!?) de Zeb Wells, arte de Seth Fisher e cores de Chris Chuckry. ADMITO QUE ‘TÔ COM MUITO MEDO DE LER ISSO!
Novos Vingadores &Transformers – história (?!?) de Stuart Moore, arte de Tyler Kirkham, arte-final de Sal Regla e cores de Annette Kwok, com capas de Jim Cheung, Mark Morales e Justin Ponsor. Crossover entre a Marvel e a IDW. Vai dar certo?!? Tenho sérias dúvidas quanto a isso. ADMITO QUE ‘TÔ COM MUITO MEDO DE LER ISSO![2] A página do download direto do blog é esta!


Bem, ouvi uns rumores de que finalmente os ZUMBIS DO ESPAÇO vão tocar mesmo em Belém ainda este ano. Bora ver o que é que sai disso..............! Se o Maiden veio................................!


‘Tô quebrado! Deixa eu ir!
Inté e se cuidem, negada!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

ACORDOU TARDE? CULPE O FOO FIGHTERS! [risos]

E aí que já vai dar meio-dia e eu estou em casa, quando deveria estar na aula de Herr Barroso.
E aí que hoje teve paralização dos buzão aqui em Ananindeua, mas eu poderia ter pego o comboio do inferno também conhecido como UFPA – Cidade Nova 6 pra ir pra uni mas acabou não dando porque eu CONSEGUI MESMO acordar às cinco da manhã. Só que com aquela velha e conhecida historinha de “só mais cinco minutinhos”, acabei acordando mesmo lá pelas dez e meia da matina – ou seja, perdi novamente aula de Frau Larissa. Mais uma e é game over pra mim nessa (isso se já não tiver sido). Que merda. Eu consigo me foder nessas sozinho! Bem, e ainda tem o Übergigafail de segunda-feira última, que nem rola ser comentado aqui. Pelo menos, metade do trabalho pr’apresentar amanhã já está feito e agora estou terminando a segunda. O problema é que sou um monstro pra ficar falando um monte de merda sem parar e tô tentando resumir ao máximo pra embromar o mínimo possível esta porra.
Quanto ao álbum do Foo que eu disse que ia escutar fazendo trabalho – Wasting Light? À primeira audição, achei ser bem irregular, comparado aos outros anteriores. Três guitarras, é? Álbum mais pesado da banda, é? Não foi isso que ouvi. Talvez as canções funcionem melhor ao vivo, porque elas andam meio que muito contidas no disco. Mas a grande vantagem – pelo menos pra mim – é que o álbum todo remete ao melhor de todos os anteriores. Mas, sei lá. Três guitarras.
Em 2000, quando o Iron Maiden soltou o Brave New World, foi uma porrada, tanto porque mostrava o que uma banda do porte do Maiden poderia MESMO fazer com três guitarristas, ainda mais sendo eles Adrian Smith, Janick Gers e Dave Murray. Aí, em 2002, o Bad Religion, marcando a volta do Brett Gurewitz à banda, lança o The Process of Belief, que é um daqueles petardos que é pra ouvir do começo ao fim, e considerando ainda a parede de guitarras motosserras que Mr. Brett faz com Brian Baker e Greg Hetson. Mas, no fim....... Talvez seja falta de costume da minha parte com este novo álbum do Foo. Talvez seja preciso eu dar a atenção necessária a ele. Não ouví-lo fazendo trabalho. Ouvi-lo como um fã de Foo Fighters e não depois de escutar um Pub Songs e mais um monte de bandas de horror punk.


Li e achei muito FODA!
Bem-vindo a Hoxford. História e arte de Ben Templesmith. Mais uma pérola inquestionável da IDW Comics, tal como A Floresta do Suicídio, Metal Gear Solid e Zumbis vs. Rôbos. Foi o Canção-da-Amargura que me indicou e me passou esta! Os piores criminosos dos Estados Unidos vão para uma prisão de segurança máxima em um lugar esquecido dentro do país, controlada por uma iniciativa privada. Lá, eles vão descobrir da pior maneira porque e como esta iniciativa privada controla esta instituição carcerária. Não dá pra parar enquanto a mini de quatro partes não terminar. Cuidado com seu estômago e com sua sanidade no processo. Aprovado e recomendado.



Deixa eu terminar de terminar meu trabalho. ‘Tá quase no fim e eu acho isso ótimo!

UM, DOIS, TRÊS, VAI...!

Vamos falar do que ME interessa e a todos os leitores desta porra!

UM
Ontem foi dia de eu me foder terminando o trab de Psicolingüística pr’apresentar enfim e finalmente HOJE (e eu admito que eu só fui à uni por causa disso!) e aí que NÃO CONSEGUI APRESENTAR ESSA PORRA! Claro que fiquei, pra começo de conversa, extremamente PUTO DA VIDA com isso. Sorte que o trabalho já está terminado de vez e o professor gostou d’apresentação em slides que preparei pro trab em questão. Fora que também recebi uma péssima sobre E2A1 que nem convém dizer aqui de tão escrota que é (e tenho que agradecer pelos dois maiores bocas-duras que tem na minha classe da graduação por isso ter acontecido – obrigado por nada, miseráveis malditos!).
Ah, é. Eu não posso esquecer de dizer que o GUAXE salvou o meu dia e o do Tail nos dando praticamente uma das melhores informações do semestre! Realmente não esperávamos. Fiquem no aguarde que vou preparar um post especialmente pra essa notícia.
Valeu por essa, Seu Rato! E, de todo meu coração, não sei nem como COMEÇAR a te AGRADECER por essa!


DOIS
Falando em Tailson. Ele me emprestou uns filmes que eu ‘tava querendo ver fazia uma cara. São eles: Street Fighter Alpha – O Filme, Hulk vs. Thor, Os Esquecidos, Minha Super Ex-Namorada, Pagando Bem, Que Mal Tem? e O Estranho Mundo de Jack (que eu já vi algumas vezes, só peguei pra tirar uma cópia pra mim mesmo!). Eu já vi dois até agora – Street Fighter Alpha – O Filme e o Hulk vs. Thor.
Street Fighter Alpha – O Filme – baseado no jogo homônimo da Capcom Softwarehouse, que também produziu esta animação de 1999, junto com a Maga Vídeo e a Bandai (também uma softwarehouse nipônica mega-fodônica). Direção de Masahiro Hosoda e roteiro de um monte de gente cujos nomes não vou digitar aqui. É praticamente uma hora e meia de filme, mas tem que gostar muito do jogo de origem pra chegar até o final sem ficar completamente entediado. A trilha sonora e a edição gráfica compensam. Resultado final mais ou menos.
Hulk vs. Thor – Mais uma animação da Marvel. Direção de Sam Liu e roteiro de Frank Paur (que também produz a animação) e Craig Kyle. É daquelas historinhas que dá gosto de ver porque não força a inteligência e ainda agrada no final. Odin entra em repouso uma vez por ano e Asgard fica a mercê dos inimigos. Quem vai resolver a pendenga contra quem quer invadir Asgard? Thor. Só que Loki decide conjurar a maior força de destruição em massa de Midgard. Também conhecida como O Incrível Hulk. Só que, como o Banner avisou o deus da trapaça antes de ser morto, o Golias Esmeralda não pode ser controlado. O resto ‘cê vai ter que assistir. Só de ver o Thor apanhando que nem uma puta do Hulk DUAS vezes mais o Hulk tocando o caralho no reino de Hel já vale a parada.

TRÊS
Ontem, além de ter baixado o Isto é Horror Punk Brasil! e mais outras coisas no LabInfo-FALEM, quando cheguei em casa, acabei ouvindo outras coisas muito fodas que também baixei. Os restantes do The Crimson Ghosts (dos quais também falei ontem – Carpe Mortem, de 2006 + Dead Eyes Can See, de 2008 + Generation Gore, de 2010) vou falar em outro post. Ah, tem o novo do Foo Fighters, Wasting Light, do ano corrente. Eu vou ouvir daqui a pouco enquanto começo a fazer termino o trabalho de Frau Steffen pra OPCOA pra sexta próxima e depois comento. Agora é Foo é mais nova banda que tem uma “parede de guitarras”, fazendo um trio com os também estadunidenses do Bad Religion e os ingleses do Iron Maiden: são três guitarristas – Dave Grohl, Chris Shiflett e um dos primórdios da banda – além de ser ex-Nirvana e ex-The GermsPat Smear, que tocou nos dois primeiros álbuns da banda – Foo Fighters, de 1995, e The Colour and the Shape, de 1997.
Agora deixa eu falar dos quais ouvi.
Bloodstains Across Finland – de uma série que descobri um dia desses lá no PunkxHcxOi.Blogspot.com. Obviamente, só com bandas finlandesas e a maioria cantando em seu idioma mater. Pena que deu pau no arquivo .rar e não deu pra tirar todas as músicas, mas gostei do que ouvi. Muito interessante, pra dizer o mínimo.
Bloodstains Across Germany – da mesma série com o mesmo feitio. Deu pra ouvir com mais afinidade devido ter familiaridade ainda que às-três-porradas com o idioma. Também achei no PunkxHcxOi.Blogspot.com. Aprovado.
Setlist e bandas:
01 – Punkenstein – No School
02 – Napalm – Killer Rats
03 – Cretins – Samen Im Darm
04 – ZK – Schwarze Stiefel
05 – Big Balls & the Great White Idiot – Kick Her in the Dirt
06 – Phosphor – Schokoladenwürger
07 – Artless – Donnerwetter
08 – Niveau Null – Schnulze
09 – Male – Planspiel
10 – Soilent Grün – Erwin
11 – Lennons – Fuck
12 – A5 – Repperbahn
13 – Hermann’s Orgie – Wir Gehen Nach Berlin
14 – Razors – Christ Child
15 – KFC – Kriminalpogo
16 – Remo Voor – Toilet Love
17 – SYPH – Moderne Romantik
18 – Marionetz – Wir Sind Marionetz
19 – Middle Class Fantasies – Party in der Gaskammer
20 – Buttocks – Kreatur
21 – Pack – Come on

Volta ao Mundo em Oi! tenta Minutos – Outro achado do PunkxHcxOi.Blogspot.com. Como o próprio título já diz, a volta ao mundo através da Oi! Music. Coisitias muito legais e achei muito foda o que escutei. Não dá pra não escutar e querer formar aquela roda de pogo. Aprovado.
Setlist e bandas:
01 – Anti-Heros – All Hail Santa
02 – Becks Pistols – Pöbel Und Gesocks
03 – Bovver 96 – Mischief Night
04 – Klasse Kriminale – Lungo il Filme
05 – Nabat – Via Da Qui
06 – Oxymoron – The Pigs
07 – Patriotas – São Bento
08 – Red, White & Blue – Working Class
09 – Retaliador – Feel the Power
10 – Ruin Bois – Skinheads
11 – Section 5 – Boot Boys
12 – Skinkorps – Rock’n’Oi!
13 – Skint – Remember the Days
14 – The Business – One Common Voice
15 – The Cho-Zen – Running With The Pack
16 – The Oppressed – Wonderful World
17 – The Skulls – Oi! Oi! Music Forever
18 – Vanilla Muffins – Awakening
19 – Vírus 27 – Grande Poder
20 – West Side Boys – Emeute Urbaine
21 – Zakarrak – Skinhead

Depois de um Longo Inverno – o mais recente do CPM22 depois do quase desapercebido Cidade Cinza, de 2007. Até onde eu sei, eles saíram da major com a qual tinham contrato e este, tal como o debut A Alguns Quilômetros de Lugar Nenhum, de 11 anos atrás, marca a volta da banda aos independentes. O hardcore (?!?) tão presente agora abre imenso espaço tanto ao ska quanto ao rock descompromissado da banda, que agora parece ser rock. Dá pra ouvir todos os instrumentos muito bem e o Badauí (enfim) se conformou com sua voz e deixou de achar que podia cantar mais do que pode, contribuindo de forma impara para o conjunto. Pode até desagradar aos fãs mais puristas, mas tem que se aceitar que os caras cresceram e não quiseram ficar presos somente ao HC (e, sim, tem umas duas canções HC, são legais até) decidindo pegar outras rodovias. Muita gente vai torcer o nariz, mas foda-se. Deu pra ouvir do começo ao fim sem ficar puto, ao contrário do anterior já citado. Passa.
Setlist:
01 – Abominável
02 – Vida ou Morte
03 – O Filme que Eu Nunca Vi
04 – Hospital do Sofredor
05 – Cavaleiro Metal
06 – Quem Sou Eu?!?
07 – Na Medida Certa
08 – Um Pouco de Paciência
09 – Sofridos e Excluídos
10 – Nova Ordem
11 – CPM22
12 – Minoria
13 – Março 76

Pub Songs – a pergunta redundante é: quem lembra do A Arte do Insulto, dos fluminenses do Matanza, de 2006? Em algumas entrevistas, o vocalista Jimmy London diz que pegou muito da pegada irlandesa junto ao hardcore pra poder fazer o terceiro álbum de inéditas da banda. E dá pra sacar isso muitíssimo bem ouvindo este Pub Songs, onde simplesmente NÃO DÁ pra ficar parado. Dá vontade de sair pulando e pogando em TODAS as músicas (e a constante em todas elas são as palavras “mulher”, “festa” e “bebida” nas letras), que possuem o espírito festeiro-biriteiro de qualquer Fianna que se preze. Eu já devo ter ouvido umas quatro vezes seguidas de tão fodástico que é. Altamente aprovado e altamente recomendado.
Setlist e bandas:
01 – Dropkick Murphys – The dirty glass
02 – Flogging Molly – Drunken lullabies
03 – The Bloody Irish Boys – Drunk tonight
04 – The Dubliners – The Irish rover
05 – The Mahones – Drunken lazy bastard
06 – Great Big Sea – Home for a rest
07 – The Pogues – Whiskey you’re the Devil
08 – Blood or Whiskey – Breaking through
09 – The Real McKenzies – Drink the way I do
10 – Dropkick Murphys – Bar room hero
11 – Flogging Molly – May the Living be Dead (In Our Wake)
12 – The Bloody Irish Boys – Enniscorthy in a Bottle
13 – The Tossers – Buckets of beer
14 – The Dubliners – Mountain dew
15 – The Mahones – A Drunken Night in Dublin
16 – Great Big Sea – Lukey
17 – The Pogues – If I should fall from grace with god
18 – Blood or Whiskey – Your majesty
19 – The Real McKenzies – Ye banks and braes
20 – Dropkick Murphys – Worker’s Song
21 – The Tossers – Irish whiskey
22 – Great Big Sea – The Night Pat Murphy Died
23 – The Bloody Irish Boys – Streams of Whiskey
24 – Flogging Molly – The Kilburn Highroad
25 – The Pogues – Fairytale of New York
26 – The Mahones – Paint this town red

Nota: a versão que eu baixei do site tava uma merda, então reformatei toda a merda, recompactei e upei no 4shared. Baixe clicando aqui ó!



Vou ficando por aqui porque são quase onze da noite e ainda tem o capítulo tenso de um livro prum trabalho que tenho que ler pra poder terminar de fazer pr’apresentar sexta próxima!





Up the nerds!!!!

terça-feira, 3 de maio de 2011

AINDA HÁ CHANCE PARA O DIA

Ouvindo: várias bandas, Isto é Horror Punk Brasil!, de 2008

Foi muito fodamente tenso hoje vir pra hoje. Teve um acidente ferrado com o ônibus que eu ‘tava e quase que não consigo chegar à UF pra assistir aula. E eu fico tão feliz muitíssimo putíssimo encaralhadíssimo pra caralho quando chego pra aula e não tem. Sorte que deu pra terminar o trabalho ferrado de Psicolingüística pra entregar/apresentar/defender amanhã e ainda preparar um handout pro pessoal acompanhar a parada amanhã.
Sorte que, junto a isso, o almoço e mais umas coisas que coloquei em dia com o pessoal compensaram a viagem (porque, vai te fuder, NINGUÉM MERECE ter que vir de UFPA-Icoaraci aqui pra uni [eu já havia falado disso em kein Titel zu dem Mittwochpost [9], de 25.08.2010]).

Porra, e num é, matando a tarde qui no LabInfo-FALEM, procurando na Wikipédia alemã, acabei achando o resto da discografia do The Crimson Ghosts? Corrigindo o que disse no post Terminando Algumas Coisas Aqui Por Casa....................., o primeiro album deles – Leaving the Tomb – é de 2005 e não de 2004. O segundo se chama Carpe Mortem, é de 2006. O terceiro, Dead Eyes Can See, é de 2008 e o mais recente é do ano passado e se chama Generation Gore. É claro que ‘tô MUITO CURIOSO pra sacar os outros registros destes alemães de Colônia.
Tal como qualquer coisa de HorrorPunk MUITO ME INTERESSA!


Ah, é, eu – e TODO O RESTO DA TURMA – levamos o total caralhation from hell na prova de Psicolingüística de segunda-feira última, para a qual eu devia ter me matado estudando o final de semana inteiro, mas fiquei na farra co o pessoal. Foram só DUAS perguntas. Só que uma valendo QUATRO pontos e outra, valendo SEIS. Mas as perguntas.......................................... Um das coisas mais impagáveis/tensas/fodas da minha vida acadêmica que nunca vou esquecer foi ver todo mundo se entreolhando e dizendo sem pestanejar:
“Agora FUDEU!”



O álbum da trilha sonora de hoje foi achado no Downloads 1ζ e dá pra baixar clicando AQUI, Ó!
Setlist e bandas:
01 – Zumbis do Espaço – Ouça o Lobo Uivar
02 – Zumbis do Espaço – Carcaça de Outro Alguém
03 – Pesadelo Brasileiro – A Morte Comigo
04 – Pesadelo Brasileiro – Frankstein
05 – Kerosene’s – Hunters (demo)
06 – Kerosene's – Killed Again
07 – Rádio Cadáver – Boneca Inflável
08 – Rádio Cadáver – Necrofilia
09 – Nekrotério – Nekrofagia
10 – Nekrotério – Jason (Olha a Faca)
11 – Morra – Amor Verdadeiro
12 – Morra – Você
13 – Rambones – Espasmos Cadavéricos
14 – Rambones – Filmes de Terror
15 – Inquisidores – Embalsamada
16 – Inquisidores – Agente Funerário
17 – Graboids – As Portas do Inferno
18 – Graboids – Vampiros Assassinos
19 – Horror Motel – I Wanna Kill You
20 – Horror Motel – Horror of the Zombies
21 – El Dia de Los Muertos – Go Go Satan
22 – El Dia de Los Muertos – Scream Shake Little Monster
23 – Os Medonhos – Ataque dos Vermes Malditos
24 – Os Medonhos – Minha Amada
25 – Rotten Horror – Let Me Free
26 – Rotten Horror – We Are Rotten Boys
27 – Difuntos – Hoje é Dia de Morrer
28 – Difuntos – Meia Noite Parte II
29 – Los Muertos Vivientes – El Diablo, El Más Chingón
30 – Los Muertos Vivientes – Dellamorte Dellamore
31 – Diabos Mutantes – Brasileiro Assassino
32 – Diabos Mutantes – Psicótico


Deixa eu esperar estes downloads terminaram pra ir pra casa estudar – ao som de um bom e velho Horror Punk que todo mundo gosta!
Inté!