sexta-feira, 29 de julho de 2016

sobre a S02 de Mr. Robot até agora

Sobre a S02 de Mr. Robot até agora:
Primeiro: FORA, TEMER!
Segundo: Strange Things é para amadores.
Terceiro: Os caras conseguiram se superar em muitos níveis na série: roteiro, edição, atuação, trilha sonora, clima, tensão, etc etc etc.
Quarto: ASSISTAM A MR. ROBOT DEC0D3D! Discorre-se sobre o que é – e principalmente, sobre o que não é – Mr. Robot e sobre a S02, todavia sem spoilers.
Quinto: Ficaram neurados com a S01? Preparem-se pra essa que seus cus cairão das bundas.
Sexto: O Rami Malek continua comprovando porque personifica a alucinação e a desgraceiração de um marginal da sociedade mesmo inserido nesta. E vocês vão lembrar do Coringa. Ah, se vão! 
Por fim: FORA, TEMER!

quarta-feira, 27 de julho de 2016

lembrando porque a banda marcou mais de uma geração e ainda permanece pertinente




sábado, 23 de julho de 2016

♫♪“I just want to feel some sunshine
I just want to find some place to be alone

We can live beside the ocean
Leave the fire behind
Swim out past the breakers
Watch the world die”♪♫


sexta-feira, 22 de julho de 2016

♫♪“Algumas vezes eu menti
Desprezando os teus sorrisos
Todas as vezes eu te quis
Provocando, discutindo
Traz todo amor pra mim
Sem fugir ou me estranhar
Tá tudo aqui (tá tudo aqui).”♪♫

quinta-feira, 21 de julho de 2016

É muito fácil sofrer pela morte dos amigos. Também é muito fácil dizer “É frescura” “Age que nem homem” “Deixa de viadagem” quando não é a sua dor.
♫♪“Vou fazer uma canção em louvor ao santo preto
Canta, povo bragantino: bendito, oh! bendito.
Quando chegar dezembro
Qual é o santo que está no andor?
É São Benedito com Nosso Senhor.”♪♫

quarta-feira, 20 de julho de 2016

terça-feira, 19 de julho de 2016

“Talvez se diga que a alegoria mental é rara, que poucos podem apreciá-la e que a educação ordinária não pode dar conta de um bem tão aristocrática. Não acredito nisso. A alegoria da aventura mental é muito mais comum nos jovens do que nos homens e nas mulheres. É muito comum entre as crianças e cresce naturalmente na fase do faz de conta e da fantasia. É rara na vida adulta porque se faz de tudo para mata-la durante a educação. Os homens temem o pensamento mais do que a qualquer outra coisa no mundo – mais do que a ruina, mais até do que a morte. O pensamento é subversivo e revolucionário, destrutivo e terrível; o pensamento é implacável com o privilégio, com as instituições estabelecidas e com os hábitos confortáveis; o pensamento é anárquico e sem lei, indiferente à autoridade, negligente para com a sabedoria comprovadas de tempos. O pensamento olha para o fundo do inferno e não sente medo. Vê o homem, esse grão insignificante, cercado por insondáveis profundezas de silêncio; mesmo assim, aguenta orgulhosamente, impassível, como s fosse o senhor do universo. O pensamento é grandioso, veloz e livre, a luz do mundo e a glória máxima do homem.
Mas, se quisermos fazer que o pensamento seja propriedade de muitos, e não privilégio de poucos, precisamos nos livrar do medo. É o medo que detém os homem – medo de que suas estimadas crenças se provem ilusórias, medo de que as instituições pelas quais vivem se provem prejudiciais, medo de que eles próprios se provem menos dignos de respeito do que supunham. ‘Será que o trabalhador deveria pensar livremente a respeito de trabalho? Mas então o que seria de nós, os ricos? Será que os rapazes e mocas deveriam pensar livremente a respeito de sexo? Mas, então, o que seria da moralidade? Será que os soldados deveriam pensar livremente a respeito da guerra? Mas, então, o que seria da disciplina militar? Abaixo ao pensamento! Vamos voltar às trevas do preconceito, para que a propriedade, a moral e a guerra não sejam ameaçadas! É bem melhor que os homens sejam estúpidos, ociosos e opressivos do que tenham o pensamento livre. Porque, se seus pensamentos forem livres, eles poderão pensar diferente de como nós pensamos. E esse desastre precisa ser evitado a todo custo.’ É assim que os adversários do pensamento argumentam nas profundezas inconscientes de suas almas. E é assim que eles agem em suas igrejas, em suas escolas, em suas universidades.
Não há instituição inspirada pelo medo que possa promover a vida. A esperança, e não o medo, é o princípio criativo das coisas humanas. Tudo o que fez grande o homem surgiu da tentativa de assegurar o que é bom, não da luta para evitar o que se julgava ruim. A educação moderna raramente consegue um grande resultado porque raramente se inspira pela esperança. O anseio de preservar o passado, em vez da esperança de criar o futuro, domina as mentes de quem controla o ensino da juventude. A educação não deve visar a uma consciência passiva de fatos mortos, mas sim a uma atividade direcionada para o mundo que vamos criar com nossos próprios esforços. A educação deveria se inspirar não pelo anseio  saudoso das belezas extintas da Grécia e da Renascença, mas pela sua visão brilhante da sociedade que está por vir, dos triunfos que o pensamento vai alcançar no futuro e do horizonte cada vez mais amplo que o homem vê no universo. Quem aprende dentro desse espirito ficará cheio de vida, esperança e alegria, apto a cumprir seu papel para trazer à humanidade um futuro menos sombrio que o passado, com fé na gloria que o esforço humano pode criar.”
– Bertrand Arthur William Russell (1872-1970), A Educação. Tradução de Renato Prelorentzou.
“O poder da educação na formação do caráter e da opinião é muito grande e bastante reconhecido. As crenças genuínas de pais e professores, embora nem sempre os preceitos professados, são quase inconscientemente adquiridos pela maioria das crianças. E, mesmo que elas se afastem destas crenças ao longo da vida, algo lhes permanece profundamente implantado, pronto para emergir em um momento de tensão ou crise. A educação é, em regra, a força mais poderosa a favor do que já existe e contra qualquer mudança fundamental: as instituições ameaçadas, enquanto ainda estão poderosas, tomam posse da máquina educacional e instilam o respeito por sua própria excelência nas mentes maleáveis dos jovens. Os reformadores revidam, tentando expulsam os oponentes da sua posição vantajosa. As crianças em si não são consideradas por nenhum dos lados; são apenas massa a se recrutar para um ou outro exército. Se as próprias crianças fossem consideradas, a educação não teria por objetivo fazê-las pertencer a este ou aquele lado, mas sim habilitá-las a optar inteligentemente entre os lados: teria por objetivo fazê-las capazes de pensar, e não fazê-las pensar o que seus professores pensam. A educação não poderia existir enquanto arma política se respeitássemos os direitos das crianças. Se o fizéssemos, deveríamos educa-las de modo a lhes dar o conhecimento e os hábitos mentais necessários para formarem opiniões independentes; mas a educação, enquanto instituição política, empenha-se em formar hábitos e circunscrever o conhecimento de modo a tornar inevitável um único conjunto de opiniões.”
– Bertrand Arthur William Russell (1872-1970), A Educação. Tradução de Renato Prelorentzou.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

DESABAFO DE FRUSTRAÇÃO E ÓDIO

Bem que o então o pessoal do PPGLit-UFPA (Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal do Pará) poderia deixar de ser filho da puta. Primeiro upam um edital dizendo que tem a LPE (Linha de Pesquisa em Específico) em uma área e, quando a pessoa chega lá com o projeto com a parada dentro da LPE, nego fica de meninagem – pra não dizer, filha da putagem propriamente dita.
Por exemplo, tem-se, dentro de Literatura, Memórias e Identidades, a “Estética e/ou a filosofia da Barbárie e categorias afins (memória, testemunho, catástrofe) em NARRATIVAS literárias, audiovisuais e GRÁFICAS produzidas na CONTEMPORANEIDADE (Séculos XX-XXI).” Eu me fodo, deixo de estudar pra um concurso que eu queria SOMENTE-DESDE-SEMPRE, pra estudar pra essa porra, faço tudo direitinho, gasto um dinheiro que não podia gastar pra, na hora do vamos ver, pessoal ficar nessa fuleraigem do caralho.
Porra, não dá pra dar crédito, tampouco levar a sério.
E ainda tem nego que vai defender. 
Parabéns, vocês não são melhores do que eles. São, na melhor das hipóteses, tão filhos da puta quanto. Não tem desculpa.
E vão se foder.

terça-feira, 5 de julho de 2016

TOP 100 até agora

Me disseram pra fazer uma lista só com 23 álbuns não dá. “Só com 23 álbuns não dá”.

Então eis ai meu TOP 100



01. Bad Religion – The Empire Strikes First

02. Legião Urbana – O Descobrimento do Brasil

03. Pink Floyd – P.U.L.S.E.

04. Engenheiros do Hawaii – Longe Demais das Capitais

05. Legião Urbana – V

06. Legião Urbana – Música Para Acampamentos

07. Engenheiros do Hawaii – Várias Variáveis

08. Garotos Podres – Mais Podres do que Nunca

09. Neil Young & Crazy Horse – Everybody Knows This Is Nowhere

10. Bad Religion – The New America

11. Black Sabbath – Black Sabbath

12. Bad Religion – Generator

13. Engenheiros do Hawaii – Filmes de Guerra, Canções de Amor

14. AC/DC – Back in Black

15. AC/DC – For Those About to Rock (We Salute You)

16. Led Zeppelin - Led Zeppelin 1

17. Green Day - Nimrod

18. Apocalypse Now’s Original Soundtrack

19. Raimundos – Raimundos

20. Nirvana – MTV Unplugged in New York

21. Metallica – … And Justice For All

22. Metallica – Kill ‘Em All

23. Johnny Cash - American III - Solitary Man

24. Johnny Cash - American IV - The Man Comes Around

25. Neil Young & Crazy Horse – Rust Never Sleeps

26. Green Day – 39/Smooth

27. Metallica – S&M

28. Metallica – Garage Inc.

29. Metallica – ReLoad

30. Plebe Rude – O Concreto Já Rachou

31. Bad Religion – The Process of Belief

32. Bambix – Out of the Cradle Endlessly Rocking

33. Nirvana – Nevermind

34. Bambix – Crossing Common Borders

35. Titãs – Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas

36. Titãs – Acústico MTV

37. Raimundos – Éramos 4

38. Raimundos – MTV Ao Vivo

39. The Offspring – Americana

40. Sepultura – Chaos A.D.

41. Rammstein – Reise, Reise

42. Rammstein – Rammstein

43. Rammstein – Mutter

44. Bad Religion – Recipe for Hate

45. Bambix – Leitmotiv

46. Bambix – What Is In A Name

47. Zumbis do Espaço – Somente Esta Noite: Aberrações ao Vivo no Hangar 110

48. Zumbis do Espaço – Abominável Mundo Monstro

49. Zumbis do Espaço – O Mal Nunca Morre

50. Zumbis do Espaço – Aberrações Que Somos

51. Conan The Barbarian Original Soundtrack

52. Matanza – Odiosa Natureza Humana

53. Matanza – A Arte do Insulto

54. Misfits – Famous Monsters

55. Misfits – Walk Among Us

56. Dead Fish – Zero E Um

57. Dead Fish – Afasia

58. Dead Fish – Sonho Médio

59. Dead Fish – Um Homem Só

60. Blink-182 – Take off Your Paints and Jacket

61. Guns’n’Roses – Use Your Illusion 1

62. Guns’n’Roses – Use Your Illusion 2

63. Foo Fighters – The Color and the Shape

64. Neil Young – Harvest

65. Pato Fu – Isopor

66. Pato Fu – Televisão de Cachorro

67. Marylin Manson – Portrait of an American Family

68. Marylin Manson – Antichrist Superstar

69. Marylin Manson – Mechanical Animals

70. Marylin Manson – Holy Wood (In the Shadow of the Valley of Death)

71. Gangrena Gasosa – Welcome to Terreiro

72. Gangrena Gasosa – Smells Like a Tenda Spírita

73. Gangrena Gasosa – Se Deus É 10, Satanás É 666

74. Brujeria – Matando Gueros

75. The Devotchkas – Annihilation

76. The Devotchkas – Live Fast, Die Young

77. Bulimia – Se Julgar Incapaz Foi o Maior Erro que Cometeu

78. Arraial do Pavulagem – Gente da Nossa Terra

79. Arraial do Pavualgem – Rota da Estrela

80. Arraial do Pavualgem – Música do Litoral Norte

81. Motörhead – March Or Die

82. Motörhead – Overnight Sensation

83. Motörhead – Everything Louder Than Everyone Else

84. Iron Maiden – Piece of Mind

85. Iron Maiden – Powerslave
(sim, essa imagem ’tá mais ampliada que as outras procês sentirem o poder da mesma na íntegra que foi exclusive pra versão em fita K7)
86. Iron Maiden –The Best of the Beast

87. Arraial do Pavulagem – Arrastão do Pavulagem

88. Aerosmith – Nine Lives

89. Aerosmith – Get A Grip

90. Metallica – Master of Puppets

91. Pearl Jam – Ten

92. Pearl Jam – Vs

93. Pearl Jam – Unplugged MTV

94. Pearl Jam – Live on Two Legs

95. Silverchair - Frogstomp

96. Silverchair – Freak Show

97. Silverchair – Neon Ballroom

98. Renato Russo – O Último Solo 

99. Renato Russo – The Stonewall Celebration Concert

100. Green Day – Dookie